DE ONDE NASCE A FRAUDE?

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

Li sobre a desonestidade nos últimos meses. Aprendi muito sobre as possíveis causas daquilo que lamentavelmente tem sido o desenho do cenário nacional dos últimos anos.

O que sabemos sobre as causas da desonestidade?

Na economia racional, o conceito de fraude vem de um economista chamado Gary Becker, da Universidade de Chicago. Ele foi ganhador do Prêmio Nobel quando sugeriu que as pessoas cometem crimes com base numa análise racional de cada situação. O modo como a teoria nasceu é curioso.

Um dia, Gary Becker estava atrasado para uma reunião e, graças à escassez de vagas no estacionamento, decidiu estacionar ilegalmente e se arriscar a receber uma multa. Becker analisou o próprio processo de raciocínio nessa situação e observou que sua decisão havia sido inteiramente uma questão de avaliar o possível custo de ser pego, multado e eventualmente guinchado contra o benefício de chegar à reunião a tempo. Ele também observou que, ao pesar custos versus benefícios, não havia lugar para considerações sobre certo ou errado; tratava-se apenas da comparação de possíveis resultados positivos e negativos.

Se pensarmos bem, todos nós nos comportamos de forma bastante parecida à de Becker.  No entanto, não acredito que isso explique completamente a desonestidade.

Becker estaria correto se fôssemos perfeitamente racionais. Mas há outras componentes na equação do comportamento humano.  Emoções, por exemplo,  e capacidade de desenvolver valores a partir da convivência em comunidade.  Isto, porém, é produto de educação e espiritualidade.

Quero dizer que acredito na educação como meio para o desenvolvimento do ser humano. Mas preciso declarar que sem o valor da Fé no Criador, todo esforço é inconsistente e vazio.

Compartilhe esta publicação: