carregando...
Profissão Atitude
O SEU PLANO DE VIDA
O SEU PLANO DE VIDA

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

 

INTRODUÇÃO

Uma das características da vida é que ela muda.

No momento em que você se sente desorientado ou simplesmente deseja descobrir as suas prioridades, esta é a hora de recorrer a um Plano de Vida, e com maior seriedade e rigor se você fizer parte de um projeto sucessório na gestão dos bens da sua família.

A grande vantagem de um Plano de Vida é que ele pode dar estrutura para a sua vida enquanto você cresce, amadurece e se transforma, ao longo dos anos.

Não se trata de matemática, mas há muita lógica nisso. Um Plano de Vida é um mapa aproximado dos passos que você dará na busca de atingir sonhos, objetivos, desejos e metas.

Nem tudo dará certo, é claro, porque ninguém tem controle sobre tudo o que compõe sua existência. Mas é preciso saber que uma meta não é um desejo. É bem diferente.

Desejo tem como sinônimos: aspiração, expectativa e cobiça. Meta é outra coisa.

Toda meta é clara, objetiva e específica. Pode ser descrita com rapidez e facilidade e também ser medida. Ao final, você será capaz de saber se a alcançou ou não.

Muitas importantes universidades não se preocupam em dar uma só hora de aula sobre o tema “estabelecimento de metas”. Parece que as pessoas que elaboram as grades curriculares são cegas para a importância de se ter metas para conseguir qualquer nível de sucesso. E se você não ouve falar de metas até chegar à idade adulta, como acontece com tantos, não terá a menor idéia da importância que elas têm em tudo o que faz. Estabelecer metas para este momento, para toda a vida é indispensável e imprescindível.

"Você estabeleceu metas claras, por escrito, para o seu futuro e fez planos para concretizá-las?"

Esta pergunta foi feita aos formandos do programa de MBA de Harvard em 1979.

Descobriu-se que:

  • Apenas 3% dos formandos tinham meta escrita e um plano para atingi-las.
  • 13% efetivamente tinham metas, mas não um plano.
  • 84% não tinham qualquer meta específica, a não ser terminar o ano letivo e curtir o verão.

Dez anos depois, os pesquisadores voltaram a entrevistar aquelas mesmas pessoas.

Os 13% que tinham metas, porém, não um plano, estavam ganhando, em média, o dobro dos 84% de estudantes que não tinham meta alguma. Mas o surpreendente foi que os 3% dos estudantes que tinham metas claras, por escrito e um planejamento de como alcançá-las ao deixarem Harvard, estavam ganhando, em média, dez vezes mais que aqueles 84% e ocupavam cargos de liderança. A única diferença era a clareza das metas que haviam estabelecido para si mesmos ao se formarem.

O que você acha de dar um passo em relação ao seu futuro e elaborar O SEU PLANO DE VIDA e “ver-se mais de perto”, conhecer melhor as suas intenções e calcular o que será preciso para atingi-las? Depois disso, tudo será mais claro para pô-las em prática e tomar o seu próprio rumo.

 

COMO ELABORAR O SEU PLANO DE VIDA

Este Plano de Vida é simples, porém, exige que você dedique um tempo especial a ele durante vários dias, talvez. Cada hora de trabalho nele deve ser calma,  com de energia, foco e confiança de que irá você poderá os seus desafios presentes e futuros.

As atividades deste Plano de Vida estão divididas em três partes básicas:

  • PARTE 1: DETERMINE AS SUAS PRIORIDADES
  • PARTE 2: CRIE OS ALVOS DA SUA REALIZAÇÃO PESSOAL
  • PARTE 3: ESCREVA O SEU PLANO

 

VAMOS À PRÁTICA

 

PARTE 1: DETERMINE AS SUAS PRIORIDADES

Esta primeira parte consiste de 5 (cinco) passos.

 

PASSO 1:  Considere as funções que você exerce hoje.

A cada dia temos diferentes funções e responsabilidades.  A cada dia temos diferentes “rótulos” que nos qualificam por causa das várias ações que exercemos em todas as áreas da nossa existência.

O que são estas funções? Elas podem ser:

- filho / filha

- pianista

- estudante

- namorado / noivo

- amante de queijos e vinhos

- estudioso de música erudita

- marido / esposa

- estudante de filosofia por conta própria

- praticante de laço a cavalo

- estudioso da Bíblia

- gerente de área numa empresa

- colaborador de uma empresa

- chefe de cozinha aos fins de semana

- fotógrafo

- patrão

- pintor de quadros

- mentor de alguém

- viajante

- livre pensador

Crie agora a sua própria lista de funções. Para isso, responda à seguinte pergunta: “Quais são as funções que mais o(a) identificam neste momento presente?”

 

PASSO 2:  Considere agora as funções que você prevê que irá exercer no futuro

Pense nas funções que você deseja ou imagina exercer no futuro.

Algumas (ou todas) as funções que você exerce hoje poderão continuar sendo as que você terá amanhã.

Essas funções são aquelas com que você deseja ser descrito(a) até o final da sua vida. Portanto, inclua na lista as funções que você ainda não tem, mas deseja ter.

Talvez você queira viajar para outros países.   Neste caso, ‘viajante’ deve ser adicionado à sua lista do futuro.

IMPORTANTE: Aproveite e pense também nas funções que você exerce no presente e que estejam lhe estressando ou causando algum impacto negativo – talvez aquelas que você se veja obrigado(a) a desempenhar, mas gostaria de riscar da lista no futuro. Isto é importante. Estas, em especial, poderão ser escritas ou grifadas com uma cor diferente para ganhar destaque.

 

 PASSO 3: Avaliando Motivos

Neste passo, você deve olhar todas as funções presentes e as futuras e encontrar as razões pelas quais você as exerce (ou deseja exercer). Você sabe o “porque” de cada uma delas?

Não vale a pena viver sem um propósito. Agora é hora de você pensar no motivo, no porque, na finalidade de cada função e de cada situação que busca trazer para si ou desempenhar.

Por que “quer o que quer”?  Por que você “faz o que faz”?

Vá à sua lista de funções presentes e futuras e analise cada uma delas. Pergunte-se sem receio: “Por que sou isto?”.

Na lista de funções futuras, pergunte-se: “Por que quero ser isto amanhã?”. Escreva a resposta mais franca e verdadeira possível, sem medo.

Exemplo: Talvez você tenha escrito ‘pai’ nas suas funções futuras. Por que você incluiu isso? Uma possível resposta seria: “Porque desejo ter filhos com a  minha parceira e dar a eles uma vida de valor e dignidade.”

DICA: Uma boa  maneira de descobrir as razões por trás dos seus desejos é imaginar o momento do seu próprio funeral. Pode ser patético, mas ajuda muito!  Visualize quem seriam as pessoas presentes n o seuvelório. O que você gostaria que as eles dissessem sobre você e a sua vida naquele momento?

Talvez as coisas mais importantes que quisesse ouvir é que você foi “uma mãe cuidadosa e presente”, ou “que mudou a vida de muitos funcionários pelo modo como geriu a sua empresa”.

 

PASSO 4: As Prioridades

Uma vez que você tenha considerado o porquê por trás das funções que você deseja ter e fazer na vida, é hora de atribuir uma prioridade para cada uma delas.

Prioridade, no dicionário, significa: condição do que está em primeiro lugar em importância, urgência, necessidade, premência etc.

Empregue números crescentes que correspondam à prioridade, sendo 0 para a  maior prioridade e 5 (ou 6, ou 7)  para a menor. Ou seja, PRIORIDADE 0 é a mais urgente ou importante de todas.

Essa lista de prioridades o(a) ajudará muito a organizar-se. Por exemplo, a  sua lista de funções futuras poderá incluir: 

FUNÇÃO:  Ser gestora geral dos negócios agrícolas e pecuários da minha família

PORQUE: Estudei e me qualifiquei para este objetivo, adquiri conhecimentos, aptidão e competências e prossigo me aperfeiçoando para ocupar esta função com responsabilidade e profissionalismo

PRIORIDADE:  Prioridade 0

 

PASSO 5: Levantamento das Necessidades

Pense agora nas necessidades e recursos de que você vai precisar para manter as funções atuais e chegar às funções futuras. Essas necessidades podem ser: financeiras, físicas, emocionais etc.

A pergunta a ser respondida aqui é: “O que vou precisar para chegar a exercer esta função?”

Para cada função presente e futura, escreva na frente uma estimativa do(s) recurso(s) presente ou que será requerido ao longo do tempo.

Por exemplo:

- Se uma das funções que você deseja exercer é a de ‘Diretor Geral da empresa em que o meu pai é o dirigente, hoje”, as suas necessidades poderão incluir:  1. Atuar ao menos 6 meses em cada área da empresa  2.  Fazer um curso superior em Administração (ou MBA) 3. Criar um programa pessoal de desenvolvimento de liderança e relacionamento interpessoal.  4. Passar tempo suficiente ao lado do meu pai para aprender e praticar o “pulo do gato” da solução dos problemas do dia a dia. Assim que listar estas atividades, você deve calcular o tempo necessário para cada uma e o investimento em R$ que precisará ser feito ou que venha custar para que o percurso seja desempenhado.

 

PARTE 2: CRIE ALVOS PARA A SUA REALIZAÇÃO PESSOAL

Esta parte consiste  de 2 (dois) passos

 

PASSO 1: Os seus objetivos de realização pessoal

Considere agora o que irá tornar você uma “pessoa realizada” na vida.

Use as suas funções, as suas prioridades e as suas necessidades para ajudar a ver o que você mais quer alcançar neste âmbito. Isto é importantíssimo.

“O que você sempre sonhou ser? Qual contribuição você espera deixar ao mundo, à sua família, aos seus filhos e netos?”

Observação: Os objetivos envolvidos neste momento do seu Plano de Vida são aqueles que você realmente quer alcançar com todo esforço e não o que acha que os outros querem que você busque.

Digamos, por exemplo, que você deseje:

- Ser um escritor e escrever livros sobre algum tema

- Ser um benfeitor social na sua cidade,

- Tornar-se pesquisador em determinada área, ou um conhecedor notório sobre ela

- Ser um palestrante de renome

- Ser um arquiteto famoso

- Ter US$ 1 milhão até os 35 anos

- Visitar todos os continentes

- Fazer uma volta ao mundo de navio.

Se você precisa de mais ajuda para organizar as suas ideias, considere dividir os objetivos em categorias, como profissional, hobby, responsabilidade social etc.

Perceba que ninguém terá uma grande lista neste quesito.

 

PASSO 2: Como?

Descubra como você irá alcançar os seus objetivos. Isto significa: 

- Avaliar onde você está agora e

- Quais passos você precisará dar para alcançar cada um dos seus objetivos.

Por exemplo,

- Para fazer o mestrado em Arquitetura até 2020, eu precisarei:

  1. Pesquisar programas de mestrado em Arquitetura no Brasil.
  2. Juntar o dinheiro necessário até o final de 2017
  3. Conseguir todos os documentos necessários para me inscrever.
  4. Preencher todos os formulários necessários e entregar para as autoridades competentes.
  5. Estudar para a prova.
  6. Passar na prova

 

PARTE 3: ESCREVA O SEU PLANO DE VIDA

Esta parte compõe-se de 3 (três) passos.

 

PASSO 1: Escreva o seu Plano de Vida

Chegou a hora de visualizar tudo.

Agora você irá tentar ver tudo em perspectiva e escrever (ou descrever) os passos que você precisará dar para alcançar os seus objetivos.  Tente determinar a trajetória a ser percorrida para alcançar as suas metas.

Escolha o meio ideal para que você se sinta bem: pode ser uma planilha ou uma folha branca em que você dará destaque às ações usando canetas coloridas.

Escreva os passos que você precisará dar para alcançar cada objetivo ao longo do tempo (na ordem cronológica) partindo de HOJE (e não de amanhã).

É o momento ideal para revisar os detalhes de cada passo, como por exemplo:  os programas de mestrado que você quer fazer, ou, se um dos seus objetivos seja somente ter uma família, os detalhes sobre o que você fará no seu caminho para construir e manter essa família.

 

PASSO 2: Revise

A vida muda. Sempre. E nós também mudamos com o tempo.

Os objetivos e prioridades que tínhamos há quinze anos provavelmente não são os mesmos que temos hoje ou teremos daqui a dez anos.

É importante revisar o seu plano de vida com frequência para ter certeza de que você está seguindo-o de modo a sentir-se verdadeiramente no controle das situações que dependem de você.

Ao revisá-lo, avalie os sucessos e os fracassos que você teve até aquele momento.  Monitore constantemente as suas as suas realizações.

 

PASSO 3: Ajuste constantemente

Quando você achar que as suas prioridades e os objetivos associados a essas prioridades mudaram, é hora de reescrever ao menos uma parte do seu plano. Considere o que mudou em você, o que é mais importante agora, e como você alcançará esse novo objetivo.

Reescreva o seu plano de vida quantas vezes você precisar.

Não se limite a certo número de objetivos. Acima de tudo, você deve saber que um Plano de Vida flui. Portanto, adicione objetivos ao se tornarem prioridades e retire aqueles que não forem mais importantes.

 

DICAS FINAIS

Não exija muito de si. Mesmo que você não consiga cumprir um prazo que tenha planejado para alcançar um objetivo,  faça ajustes no seu plano e siga em frente.

Revise e ajuste o seu plano continuamente. A sua vida mudará constantemente. O seu plano deve mudar também.