Image

PRESERVE O NOME, A HONRA E A EMPRESA

ABRAHAM SHAPIRO para o Blog Profissão Atitude

“A chance de quebrar a cara em tempo de crise é muito maior do que a de ganhar com ela. O mais sensato é ficar quieto. Aprendi que a melhor maneira de lidar com esta situação é sobreviver; se você sobrevive, consegue ganhar depois.”

Estas palavras são do Sr Elie Horn, um dos maiores empresários da construção civil do país e Diretor Presidente da Cyrela. 

Ele diz mais: 

“Aprendi a apanhar, calar a boca e não ter orgulho. Em geral a humanidade é arrogante. Mas uma crise faz todo mundo pagar o preço. 

Quando esta crise começou, eu ouvi palestras e conversei com mais de cem especialistas. A verdade é que ninguém consegue prever nada. E nunca consegue. Tenho para mim que esta  é uma lição divina a nos dizer: ‘Fique quieto, seja mais humilde e  não pense só em lucro’.

Errar é humano, perseverar no erro é diabólico. Deus criou o homem imperfeito de propósito, para que ele possa melhorar a si mesmo e ajudar a fazer o mundo melhor através da superação de seus erros. Se você acerta mais do que erra, você já evoluiu. Do contrário, você é um desastre.”

Elie Horn conclui sua reflexão com o seguinte pensamento: “Não adianta dizer agora: ‘Vou vender de qualquer maneira’. Quem diz isso é ignorante ou estúpido. Em toda crise falta dinheiro, falta demanda. Fazer o quê? A prioridade, nestas horas, é preservar o nome, a honradez e a empresa.”

Ler Mais

Image

ENCONTRARAM "COISAS" NO PASSADO DO JUIZ SÉRGIO MORO

ABRAHAM SHAPIRO para o Blog Profissão Atitude

Não sou fã de pessoas projetadas pela mídia. Mas ao receber esse texto por e-mail, achei interessante dividir com os meus amigos. É sobre o juiz Sergio Moro.

Ele é a personalidade de maior destaque na mídia, atualmente. É o nome mais comentado nas redes sociais, segundo dados do Data Folha. Tamanha fama despertou o interesse de curiosos sobre quem foi Sergio Moro no passado.

Além do brilhante trabalho que vem exercendo em favor da honestidade e da honra política no Brasil, ele também é um exemplo de ser humano.

Desde sua adolescência, no interior do Paraná, ele se envolveu com obras de caridade. Passava muitos de seus sábados auxiliando na cozinha de um restaurante comunitário para os pobres, além das ações nas inúmeras madrugadas frias.

Foi nesse período que ele publicou uma foto com um texto no qual se lê:

- Para cada pessoa dizendo que tudo vai piorar, existem 100 casais planejando ter filhos.

- Para cada corrupto, existem 8 mil doadores de sangue.

- Enquanto alguns destroem o meio ambiente, 98% das latinhas de alumínio já são recicladas no Brasil.

- Na internet a palavra AMOR tem mais resultados que a palavra medo.

- Para cada muro que existe no mundo, se colocam 200 mil tapetes escritos “seja bem vindo”.

- Enquanto um cientista desenha uma nova arma, há 1 milhão de mães fazendo bolo de chocolate.

- Existem razões pra acreditar em que os bons são maioria.

Ler Mais

Image

A LEI, O DELEGADO E O LADRÃO DE GALINHAS

ABRAHAM SHAPIRO para o Blog Profissão Atitude

Pegaram o cara em flagrante roubando galinhas de um galinheiro e o levaram para a delegacia:

- Que vida mansa, heim, vagabundo? Roubando galinha para ter o que comer sem precisar trabalhar. Vai para a cadeia!

- Não era para mim não. Era para vender.

- Pior, venda de artigo roubado. Concorrência desleal com o comércio estabelecido. Sem-vergonha!

- Mas eu vendia mais caro.

- Mais caro?

- Espalhei o boato que as galinhas do galinheiro eram bichadas e as minhas não. É que as do galinheiro botavam ovos brancos enquanto as minhas botavam ovos marrons.

- Mas eram as mesmas galinhas, safado.

- Os ovos das minhas eu pintava.

- Que grande pilantra...

Mas já havia um certo respeito no tom do delegado.

- Ainda bem que tu vai preso. Se o dono do galinheiro te pega...

- Já me pegou. Fiz um acerto com ele. Eu me comprometi a não espalhar mais boato sobre as galinhas dele, e ele se comprometeu a aumentar os preços dos produtos dele para ficarem iguais aos meus. Convidamos outros donos de galinheiro a entrar no nosso esquema. Formamos um oligopólio. Ou, no caso, um ovigopolio.

- E o que você faz com o lucro do seu negocio?

- Especulo com dólar. Invisto alguma coisa no tráfico de drogas. Comprei alguns deputados. Dois ou três ministros. Consegui exclusividade no suprimento de galinhas e ovos para programas de alimentação do governo e superfaturo os preços.

O delegado mandou pedir um cafezinho para o preso e perguntou se a cadeira estava confortável, se ele não queria uma almofada. Depois perguntou:

- Doutor, não me leve a mal, mas com tudo isso, o senhor não está milionário?

- Trilionário. Sem contar o que eu sonego de Imposto de Renda e o que tenho depositado ilegalmente no exterior.

- E, com tudo isso, o senhor continua roubando galinhas?

- Às vezes. Sabe como é.

- Não sei não, excelência. Explique-me.

- É que, em todas essas minhas atividades, eu sinto falta de uma coisa: o risco, entende? Sinto falta daquela sensação de perigo, de estar fazendo uma coisa proibida, da iminência do castigo. Só roubando galinhas eu me sinto realmente um ladrão, e isso é excitante... como agora: fui preso, finalmente. Vou para a cadeia. É uma experiência nova.

- O que é isso, excelência? O senhor não vai ser preso não.

- Mas eu fui pego em flagrante pulando a cerca do galinheiro!

- Sim. Mas é primário. E com esses antecedentes...nem pense!"

Ler Mais

Image

CONSULTORIA: NÃO É JOGO DE SORTE

Abraham Shapiro

Consultoria é uma profissão cada vez mais cobiçada por estudantes e profissionais não atuantes no ramo. Uma das razões é o falso pressuposto de que dá dinheiro. Outra é a visão de “país das maravilhas” de um crescente número de desempregados que não se recolocam ou, quando conseguem, sem resgate da posição e salário de antes da crise. 

Tal como novas seitas religiosas proliferam em momentos de crise econômica, pessoas  profissionalmente mal resolvidas acreditam que vestir-se como executivo e empregar terminologia rebuscada darão acesso fácil e rápido ao ganho que o mercado de trabalho lhes nega por possíveis motivos como: falta de competência, por exemplo.  

O problema não se restringe a quem os contrata, mas provoca desgaste à profissão.

Basicamente, existem dois tipos de consultoria: a de sintomas e a de causas.

A consultoria de sintomas trata dos problemas pela aparência. Cobra caro porque é rápida e deixa a sensação de que tudo foi resolvido. Passado um tempo, o mal retorna – às vezes bem pior do que antes.

Uma metáfora pode ajudar. Se alguém tem dor de cabeça e vai a um médico que lhe receita um analgésico, isso talvez traga conforto momentâneo. Mas essa dor podia ser apenas um sinal de algo mais grave que o remédio afastou sem tê-lo curado, de fato. 

A consultoria de causa tem outra atuação. Primeiro conhece o problema em profundidade a fim de discernir a respeito. Depois, busca suas causas e só então as trata até eliminá-las. Naquela mesma analogia, se o médico for profissional, não dará receita alguma sem antes averiguar a origem da cefaleia através de exames e avaliações. Após conhecê-la, determina o tratamento e o implementa até que o paciente seja curado. 

A sabedoria ensina: “Enquanto a origem do problema permanecer, ele não será resolvido”. Simples, porém difícil! 

O que fazer? 

Busque referências antes de abrir a sua empresa à “horda” atual de consultores, mentores, coaches, headhunters, conselheiros, marqueteiros, gurus, pajés e outros. Todo currículo é bonito. Empregue um só indicador para decidir se irá ou não conceder aquela “hora para apresentação” que eles solicitam. O indicador é: resultados anteriores. Quem não os tiver, ou é iniciante, ou pescador de tolos.

Ler Mais

Image

CHEGA DE SER O PAÍS DO FUTEBOL

Abraham Shapiro

Basta! Depois da derrota por 7x1 para a Alemanha na última Copa e a recente eliminação na primeira fase da Copa América está mais que provado que não somos o país do futebol há muito tempo. Não adianta nos iludirmos mais com isso. 

O tempo passou o esporte que um dia pareceu monopólio nacional converteu-se em alvo de treino intenso e sistemático de jogadores e times inteiros em outros pontos do globo. Eles foram humildes, treinaram e aprenderam. Nós fomos orgulhosos, dormimos pensando sermos bons e, ao acordar, havíamos perdido a soberania. História óbvia em qualquer área. Pura questão de causa e efeito!

Isso foi ótimo!

Não é justo que um jogador que faça um trabalho pífio - como o da seleção brasileira nos últimos anos - fature o mesmo que o difícil e explorado lucro líquido de  empresas geradoras de emprego e pagadoras de  tributos além dos que deveriam para um estado corrupto como o Brasil. Não é justo que um desportista ganhe milhares de vezes o salário de fome de um professor ou de um cientista. Não é justo que ele seja mais admirado que o agricultor, que sofre e se desdobra pelo alimento dos que estão perto e dos que estão longe. 

Além de tudo, é infeliz e desafortunado constatar que a mídia incite as nossas crianças a desejarem  ser jogadores de futebol pela fama e pelos salários milionários quando muitos desses astros fabricados por interesses pontuais são sonegadores  de impostos e mestres em dar boas desculpas por seu mau desempenho. Trata-se, antes,  de um estrelato incoerente e inconsistente.

A verdade é que devíamos ter a honradez e o brio de buscar outras titulações nacionais merecidas, porém, não interessantes à nossa gente por seu   baixo nível cultural. Poderíamos lutar por sermos  "O país da educação", por exemplo. ou talvez: "O país do empreendedorismo". Há outros tanto ou mais significativos.  Isto seria, sim, um orgulho à altura do trabalho e do esforço de todos os brasileiros já cansados e surrados por tanta roubalheira e enganação de governos e outros ilusionistas que comungam  dessa humilhante política do pão e circo!

Ler Mais

Image

NEUROCIÊNCIA E CHARLATANISMO

Abraham Shapiro

Um tema de que você já deve ter ouvido ou lido em revistas: Neurociência! Trata-se do estudo científico do sistema nervoso.  

Entretanto, atualmente é uma ciência interdisciplinar que colabora com outros campos do conhecimento humano como  educação, computação, química, engenharia, antropologia, matemática, filosofia, física e também a psicologia.

Acontece que, de um momento para outro começamos a ver pessoas sem qualquer credencial profissional colocar-se como especialistas em neurociência. Elas vêm a público como quem domina sua aplicação seja no marketing, no  coaching executivo, na nutrição etc. Há muitos desses tais rodando o país vendendo palestras até de neurociência aplicada à propaganda. Outros aproveitam a moda e ensinam como ganhar fortunas no Youtube. Tudo com neurociência.

Você confia? Eu absolutamente não! E mais uma vez venho aqui para adverti-lo: não caia na conversa de oportunistas. Tome referências do que quer que tenham feito de concreto antes deles se apresentarem como palestrantes. Papel e Power Point aceitam tudo.

Neurociência, na prática, é uma área complexíssima e restringe-se a poucos  especialistas e estudiosos em redor do mundo. Esteja certo de que não é com o conhecimento de livretos e revistas que se habilitam pessoas a divulgar suas aplicações práticas!

Agora, por favor, informe isso aos seus funcionários porque  está nascendo mais uma onda de encantamento da parte de gente fraca. Refiro-me àqueles estúpidos que acreditam em palestras de piadas como motivação e outras balelas. Eles é que fazem o caixa dos caça-níqueis e oportunistas enriquecer.

E quanto a você, aceite os meus votos de que não entre em mais esta “gelada”. 

Ler Mais

Image

O OVO, O CAFÉ E OUTROS VENENOS

Abraham Shapiro

Este mês eu completarei 55 anos, com a ajuda dos Céus. Já vi muito nesta vida. Vi o ovo ser assassino. Vi o café matar do coração. Hoje ambos são produtos gourmets, de finíssimo gosto, cultuados nas academias de ginástica e apontados como "remédios". 

Chegou a vez do sal de cozinha matar – junto de vários outros produtos. Então, muita gente se apega a mais esta opinião, noticiada pelas tv’s como “Pesquisadores apontam que...”, e adota a medida dos supostos "especialistas"  com fé inquestionável. E eu faço uma pergunta: “Quem é que determina essas ‘ondas’  de ‘mata’ ‘não mata’? Não é a medicina. Nem a nutrição. Mas a lei da oferta e procura. 

Desafortunadamente, o mundo não é regido pela ciência ou pela lógica matemática, como gostaríamos que fosse. Tanto é que há denúncias gravíssimas contra uma provável máfia mundial de empresas do ramo de medicamentos levantando acusações de que a cura viável para o diabetes, para a gripe, entre outras doenças, já existe. Só não vem a público porque ruiria uma estrutura de trilhões de dólares. 

Verdade ou mentira, é importante entender que o mundo é pilotado pela economia, pelo dinheiro e pelo interesse financeiro ganacioso e desprovido de valores. Assim, não será surpresa alguma quando chegar o dia em que água fará mal. Você duvida? O pior é saber que haverá imbecis em número suficiente para entrar em mais essa falsa onda e fazer o jogo das mentes doentias vestidas de terno e gravata à cabeça dessas corporações inumanas! 

_______________________________

CONVITE: Inscreva-se no nosso Canal Profissão Atitude, do Youtube, e usufrua de mais de 350 vídeos sobre os mais diversos temas relacionados à solução de problemas profissionais. CANAL PROFISSÃO ATITUDE .

https://www.youtube.com/channel/UCUkzEZU9YCpNi9dYqwpWVeA
_______________________________

Abraham Shapiro é consultor de empresas e Executive Coach com especialidade na sucessão em empresas familiares. Fone | Whatsapp: 43 8814 1473 Email: shapiro@shapiro.com.br   

Ler Mais