PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO VIROU ARROZ DE FESTA

Image

Abraham Shapiro 

Planejamento Estratégico. Esta parece ser uma das mais cobiçadas competências da maioria massacrante dos profissionais. É o que se conclui após uma visita às mídias que se prestam a ser vitrine de currículos e carreiras. 

É tanta, mas tanta gente que se diz competente nesta área que, das duas uma: ou não sabem o que, de fato, significa ... ou pensam que basta escrever ali e todos acreditarão.

Não eu. 

Aliás, eu suspeito de qualquer currículo, até que se faça a mais otimizada entrevista de averiguação, já que no papel, na tela de computador e nas mídias sociais todo mundo é bom, bonito, canta e dança bem.

Vamos ao conceito.

Planejar é estabelecer um caminho a seguir durante a execução de uma tarefa ou projeto até que seu objetivo seja alcançado. Consequentemente, organização, direção e controle  são competências sem as quais planejamento algum se concretiza. 

As empresas  querem que seus executivos saibam planejamento estratégico porque elas querem que eles direcionem as pessoas e os negócios para os mesmos objetivos. Quando solicitam este atributo profissional, de um momento a outro, todo mundo se torna especialista. São como crianças enumerando suas boas qualidades para que ganhem um presente do Papai Noel.

Será que existe tanta gente que sabe fazer um planejamento estratégico assim? 

Eu e todo o mundo sabemos que não, até porque se o número de pessoas que se auto-atribuem esta competência nas mídias fosse verdadeiro, os grandes problemas do planeta e da sociedade já estariam resolvidos... a décadas.

Compartilhe esta publicação: