NEM SEMPRE OS ARGUMENTOS RESOLVEM

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

"Políticos são iguais em todo lugar. Eles prometem construir pontes mesmo onde não há rios."

Esta frase foi dita por Nikita Kruschev, que se tornou um dos homens mais poderosos do mundo quando liderou a extinta União Soviética durante 11 anos.

Em 1953, com a morte de Joseph Stalin, Kruschev participou e venceu a disputa interna pela sucessão daquele ditador, tornando-se líder do Partido Comunista. Tomou medidas que desagradaram seu partido. Entre elas, denunciou o culto à personalidade de governos anteriores ao dele.

Certa vez, um sujeito interrompeu Khrushchev no meio de um discurso em que ele denunciava os crimes de Stalin.

- “O senhor foi colega de Stalin”, gritou o sujeito, “por que não o impediu na época?”

Khrushchev aparentemente não podia ver o fulano e rosnou:

- “Quem disse isso?”

Ninguém levantou se manifestou. Ninguém moveu um músculo sequer.

Passados alguns segundos de silêncio constrangedor, Khrushchev disse com voz tranquila,

- “Agora você sabe por que eu não impedi Stalin.”

Este episódio entrou para a História e é uma grande lição de comportamento.

Em vez de simplesmente argumentar que qualquer pessoa diante de Stalin teria medo, sabendo que o mais leve sinal de rebeldia significava morte certa, Krushchev fez sentir o que significava enfrentar Stalin. Ele fez os presentes sentirem a paranóia, o terror de falar em voz alta, o pavor do confronto com o líder, neste caso, Khrushchev. A demonstração foi cabal e nunca mais se discutiu este tema.

A lição presente neste episódio é válida para todos e em qualquer circunstância: “A forma de persuasão mais eficaz é a atitude”.

Guarde bem isso e, se possível, transforme em regra de comportamento: “Atitude e exemplo fazem as pessoas entenderem coisas aparentemente impossíveis sem que você tenha de dizer uma só palavra”.

Compartilhe esta publicação: