NEGUE-SE A FRACASSAR

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

Já observou que no mundo dos negócios o fracasso se tornou um “ritual de passagem”?

Eu ouço o tempo todo que nove entre dez empresas novas não vingam ou que as chances de certo projeto dar certo são quase zero. E o anexo deste mau agouro traz de brinde-surpresa aquela filosofia de boteco, que diz: “o fracasso molda o caráter”.

Sim, o insucesso está em alta. E eu lamento por todos os que se deixam levar por esta droga de pensamento.

Leia bem o que venho a dizer hoje: Não dê bola para estatísticas.

O fracasso dos outros é apenas isto: o fracasso dos outros. Se eles não conseguem vender, isso não tem nada a ver com você. Se eles são incapazes de formar uma equipe, cobrar bom valor pelos serviços que prestam e ganhar mais do que gastam, o problema é deles, não seu.

Outra coisa que falam a torto e a direito é que devemos aprender com os erros.  Não direi estar errado. O problema é que faz pensar ser o fracasso um pré-requisito do sucesso. E não é. Sabe o que devemos aprender inequivocamente dos nossos erros? Não fazê-los de novo.

Um estudo da Harvard Business School constatou que empreendedores bem-sucedidos têm 34% de chances de acertar novamente. Já, aqueles cujos negócios fracassaram da primeira vez, terão na próxima empreitada quase o mesmo índice de sucesso que aqueles  que nunca abriram uma empresa, a saber: 23%. 

Portanto, a experiência que importa é a experiência do sucesso.

Aprenda com os seus acertos e bons resultados. Neles é que se encontra a sabedoria de que você mais carece. Repita-os.  E, desta vez, tente fazer melhor.

E se você estiver revoltado ou contrariado com o que levanto na coluna de hoje, largue mão de ser ranzinza, pois é exatamente assim que a natureza funciona. A evolução não se presta a examinar fracassos passados, mas a desenvolver aquilo que deu certo. Siga este exemplo!

Compartilhe esta publicação: