QUANDO NEM O GÊNIO DA LÂMPADA RESOLVE

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

Contam a história de dois prisioneiros condenados à morte que já estavam a seis meses na prisão. No dia da execução, o tenente os leva pelo corredor até o pátio onde tudo acontecerá.

Chegam ao paredão, recebem um trago de bebida, um padre reza e o tenente se coloca em prontidão para comandar os soldados, já a postos:

- “Pelotão! Apontar....”

e então, surpreendentemente, naquele instante,  um dos prisioneiros vira-se ao outro e lhe diz:

- “Ei amigo. Preste bem atenção. Tenho um plano fantástico para nós!”

Serei muito franco com você, querido leitor, querida leitora. Sabe de uma coisa? Eu vejo diariamente “n” situações semelhantes e tão absurdas quanto esta em muitas empresas. Gestores resolvem agir sobre grandes problemas quando já não há mais nada a fazer. Não tiveram interesse e visão clara enquanto o mal se alastrava. Agora, que  é tarde, acham que terão algum domínio ou controle quando plano algum reverte ou modifica a situação.

Mas eles acreditam. E eu pergunto: “De que adianta?”

Morrer de diabetes ou hipertensão, hoje em dia, é pura falta de disciplina e obediência a um  tratamento médico. Quanto antes um diagnóstico for realizado, maior chance de cura haverá, desde que seguida a prescrição médica. Boas consultorias são também assim. Quanto mais preventivas, melhor funcionam para o cliente que as seguir.

Pois então, acorde logo para os problemas da sua vida,  da sua empresa,  dos seus relacionamentos e tudo o mais, porque, como diz a sabedoria caipira:  “marmelada na hora da morte, mata o moribundo de congestão”.

Compartilhe esta publicação: