OS NOVOS HORIZONTES DA PRODUTIVIDADE

Image

Abraham Shapiro

O conceito de produtividade tem desenvolvido muito ao longo das últimas décadas. 

Longe de conotações economicistas que alguns possam ter, ser produtivo consiste em conseguir mais com o que se tem.  Isto se aplica tanto a pessoas quanto a organizações. 

Há trinta anos, ensinava-se produtividade a um gerente por meio de técnicas de delegação, lições de como dizer “não” e de administração do tempo. Mas o objetivo não foi atingido.

Dez anos depois, começou-se a ensinar o mesmo gerente como estabelecer prioridades. Ele não melhorou sua produtividade.

Já, pelo ano 2010, o impacto das descobertas da neurociência pôs ênfase no fato de que tudo depende de como nós pensamos, e não de técnicas específicas. 

O foco então recaiu sobre “o que fazer” e “como fazer” para se aproveitar os recursos pessoais disponíveis e os recursos que a empresa disponibiliza a cada um para que alcance o máximo possível. E quando este marco é atingido, então é possível melhorar. E depois mais. 

No entanto, isso depende da vontade de cada um, das visões que somos capazes de desenvolver e de quanto esforço estamos dispostos a investir nesse processo. 

A conclusão? Vai, volta, gira, sobe e desce.... e a situação recai sempre sobre o mesmo. Ser produtivo – como tudo na vida – depende do indivíduo ter objetivos claros e um propósito pessoal significativo. Sem isto, ferramenta alguma e método nenhum irão melhorar a produtividade de ninguém. Nem a sua. Esteja certo!

Compartilhe esta publicação: