UMA DAS MAIS SUBLIMES COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

Eu lia um Provérbio do Rei Salomão, na Bíblia,  e me deparei com a palavra “diligência”. Pensei que naquele contexto seu significado fosse “zelo, interesse ou cuidado quando se executa uma tarefa”. É o que está no dicionário.

Vou dar uma ideia prática. Imagine que você quisesse cavar um túnel subterrâneo de alguns metros de comprimento utilizando uma colher de sopa. Isto consumiria dias, semanas ou meses. Empregando uma pá ou uma escavadeira, o trabalho seria  mais diligente, reduzindo o tempo e o seu cansaço.  Este é o sentido comum.

Fui pesquisar os comentaristas da exegese Judaica e entendi que ‘diligência’ na linguagem de Salomão tem sentido especial e maravilhoso.

É da nossa natureza desejar seguir sempre o caminho que oferece menores resistências. Na prática, contudo, vemo-nos inevitavelmente obrigados a trilhar vias em que os obstáculos não são poucos. Assim, quando os Provérbios falam da diligência, comunicam um sentido ‘não natural’ no ser humano. Na linguagem profissional, ser diligente, portanto, é uma competência rara entre os traços gerais de personalidade.

Para conquistar ou desenvolver a diligência, precisamos investir esforço, pois ela envolve correção e pureza - refiro-me à pureza similar à que se obtém no tratamento do ouro.

Ser diligente,  portanto, na visão do mais sábio dos homens,  traduz-se como “investir esforço e tempo em uma tarefa, com pureza e correção, em busca do resultado.”

Isto equivale a superar o zelo e o cuidado, agregando honestidade, competência, prontidão e eficácia.

Não é mesmo maravilhoso?

Compartilhe esta publicação: