CONVIVA COM A POTENCIAL DEMISSÃO

Image

Abraham Shapiro

Outro dia estive com o gerente de área de uma média empresa. Ele está lá há vinte anos e tornou-se um especialista em sua função. No auge da conversa, perguntei-lhe como se sentiria se fosse demitido. Seu semblante mudou. Ele mostrou-se repentinamente rude e afirmou que ninguém o demitiria, exceto o diretor que o contratou. E se soubesse dessa intenção, preferiria ele mesmo pedir as contas para que nunca fosse demitido.

Bem. Eu estava diante de um quadro psicológico nítido e típico de preconceito. A raiz? Sólida crença em que “ser demitido” é humilhação. Será?

Coisa antiga! Tão ultrapassada quanto a expressão: “ficar com a carteira suja”.

Até a década de 1980, não era comum o funcionário ser demitido. Mas por volta dos anos 2.000 isso mudou.  Hoje, grandes empresas anunciam cortes de dois mil, seis mil, dez mil funcionários e os analistas de mercado veem com bons olhos.

Na nova realidade, colaboradores eficientes e que receberam elogios por seu desempenho podem ficar sem emprego de uma hora para outra. É a volatilidade do emprego e o rearranjo constante a que as empresas se submetem em busca de eficiência. Por isso, a sabedoria manda ser prudente.  Caso a demissão não aconteça, tudo bem. Mas se vier, os prevenidos terão menos problemas.

Sugiro três diferentes atitudes a quem quiser se adaptar.

Comece pelo currículo. Deixe-o permanentemente atualizado.

Depois, revise os seus contatos. Desenvolva e mantenha relacionamento com gente estratégica, pessoas de decisão e influentes. Armazene no seu banco de dados: nome completo, número de telefone, e-mail e estabeleça vínculo discreto e frequente com cada uma delas. Detalhe: não exagere. Tenha fineza.

Em terceiro, economize dinheiro.  Faça uma reserva e não gaste. Este deve ser um fundo para emergências.

A coisa proibida é você desejar ser como um navio ancorado no cais. Até porque, assim como navios são feitos para enfrentar o alto mar, um profissional bom e organizado deve  estar pronto para os desafios e as mudanças que qualquer carreira exige. E de agora em diante mais ainda!

Compartilhe esta publicação: