CONSUMO E PERCEPÇÃO

Image

Abraham Shapiro

“Alguns executivos dos refrigerantes acreditam que o marketing é uma batalha de paladares. Quando a Coca-Cola Company resolveu mudar a roupagem de seu tradicional refrigerante para New Coke na década de 1980, realizou 200 mil testes de paladar que ‘provaram’ ter a New Coke sabor melhor do que a Pepsi - que era mais gostosa que a Coca-Cola daquele tempo. Entao eles passaram a chamar a Coca-Cola que todos conheciam de Coca-Cola Classic. 

O que aconteceu, então, nesta poderosa batalha de marcas? Depois de milhões de dólares gastos em propaganda para divulgar ao público o resultado da fabulosa pesquisa, a New Coke, que aparecia como tendo o melhor sabor, ficou em terceiro lugar nas vendas. A Coca-Cola Classic, que a pesquisa mostrou ter o pior sabor, ficou em primeiro. Conclusão: as pessoas acreditam naquilo que querem acreditar. Provam o que querem provar”.

Esse texto é de Al Ries e Jack Trout no livro “As 22 Leis Consagradas do Marketing”. Trata sobre a influência da percepção sobre o consumo.

Eles ensinam algo doloroso e difícil de pôr em prática. Aqui vai: tenha cuidado com gente inexperiente à frente das decisões sobre produtos, sobre a comunicação e outras formas de exposição da sua empresa ou marca. 

Ao optar por aquele pessoalzinho bacana de agências coloridas, que usa roupas da moda,  tecnologia transada, cabelo espetado como de periquito e que sabe propor projetos legais,  apronte-se com coragem para ouvir explicações nada sensatas quando este circo todo não funcionar, pois eles quase nunca sabem, de fato, o que deu errado. 

Foi o que aconteceu com a Coca-Cola. Depois de tudo.

Só não se esqueça de um fato: a conta vem em seu nome. E experimente não pagar!

Compartilhe esta publicação: