O LEÃO OU A HIENA?

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Blog Profissão Atitude


O profissionalismo de qualquer pessoa está em cheque-mate quando, diante de um problema, ela diz:  “Não tem jeito!”

Eu cresci ouvindo que “só não há jeito para a morte”. Esta não é uma frase de para-choque de caminhão, mas um pensamento que expressa disposição para lutar. O sujeito que, de cara, conclui não ter solução para uma questão, enquadra-se em uma de quatro possíveis alternativas:  preguiça,  falta de interesse, incompetência ou as três combinadas.

Você se lembra do desenho animado “O Leão da Montanha” na tevê? Aquilo era uma verdadeira lição de comportamento em meio à rebeldia do rock-em-roll e da efervescência cultural da década de 1960.

Lippy, o leão, e Hardy, a hiena, viajam pelo mundo em busca de vida fácil, sucesso e fortuna. Lippy é um otimista nato. Acredita que tudo vai dar certo e que o vento sempre sopra a favor. Hardy é um pessimista que espera o fracasso e a tragédia.  Ele diz o tempo todo:  “Oh vida! Oh céus! isso não vai dar certo!”. Talvez ele sofra de depressão crônica. Seu nome, Hardy, significa ‘pesado’. E pesado é todo indivíduo negativo, que acha que nada tem jeito.

Sabe com qual dos dois eu fico? Com a sua licença, tomo a liberdade de dizer: nem Lippy e nem Hardy. Excesso de otimismo não é bom. E negativismo permanente é mau. Bom é ser realista com autoconfiança, fé em Deus e coragem para enfrentar os desafios – mesmo sem garantias de vencer.

Se você concorda com esta visão, esforce-se para convertê-la em prática. Eu comecei há muito tempo. Prossigo insistindo,  ainda que não mereça nota 10  em desempenho.

Compartilhe esta publicação: