TREINAR E DESENVOLVER: A GRANDE DIFERENÇA PRÁTICA

Image

ABRAHAM SHAPIRO, de Jerusalém, Israel, para o Blog Profissão Atitude
 

Treinar é preciso. O patrão que investe no treinamento dos funcionários está à frente. Mas não é tudo. É necessário ir além do treinamento para conseguir eficiência e produtividade. Como? Promovendo o DESENVOLVIMENTO de quem foi treinado.

Treinar e desenvolver são coisas diferentes. Vejamos na prática.

Transmitir os processos envolvidos na função a ser desempenhada pelo funcionário, fazer simulações, acompanhar os primeiros passos de perto e depois à distância para certificar-se de que tudo está sendo feito da maneira certa são as etapas de um TREINAMENTO.

O que falta depois disso são os pontos que ajudarão o funcionário a resolver os problemas que inevitavelmente surgem em seu dia a dia. Nisso é que consiste DESENVOLVIMENTO.

Para DESENVOLVER, é preciso impor ao exercício profissional normal do funcionário as condições adversas típicas.  Com todo cuidado e progressivamente, as dificuldades que ele enfrentar e resolver  vão abrir sua inteligência para superar a simples execução.

É claro que ele cometerá erros no começo na execução. Mas vai melhorar com o tempo e aprender com os erros. 

Grande parte do turn over das empresas advém do fato dos funcionários serem treinados, mas não desenvolvidos. Sem desenvolvimento eles não conseguem eficiência e, por isso, parecem insuficientes e sentem-se assim.

Em resumo: no treinamento o funcionário aprende que tomate é uma fruta. No desenvolvimento, ele descobre que não se deve usar tomate numa salada de frutas.

 

 

 

Compartilhe esta publicação: