OS SEUS CLIENTES VEEM A REALIDADE DOS SEUS PRODUTOS?

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

Realidade. O que vem a ser isso? Não tenho tempo e nem conhecimento suficientes para tratar aqui de um conceito tão complicado.

Uma coisa eu sei. A nossa percepção não identifica o mundo exterior como ele é de verdade. Nós percebemos as coisas do modo como os nossos sentidos as interpretam. E a diferença pode ser muito grande. É disso que depende o valor que uma pessoa dá a qualquer coisa.

Pense num quadro do grande pintor Picasso exposto a alguém que nada sabe sobre arte. A obra poderá valer menos que uma pintura a dedo de um garoto do jardim da infância.

Como consultor de negócios, eu vi empresários valorizarem seus serviços ou produtos num nível  muito acima ao que seu público-alvo conseguia identificar.  Daí seus clientes-consumidores não se conformarem em pagar o preço cobrado. É óbvio. Eles não percebiam, de modo concreto, os benefícios prometidos nas propagandas ou pelos vendedores. Faltava para essas empresas um alinhamento entre a intenção e o que elas entregavam.  

Todos tendem sempre a achar que oferecem boas coisas ao mercado.  Mas se essas coisas não são boas, todos acabarão vendo.  Por outro lado, se realmente são boas,  os responsáveis precisam ensinar  os clientes a identificá-las na prática.  Talvez você não se lembre, mas foi exatamente isso que algumas marcas de sabão em pó fizeram durante anos na tevê: mostravam como usar seu produto e o resultado.

É certo e também justo comunicar o que é verdadeiro no que você vende. Isso instruirá as pessoas a que aprendam o jeito correto de percebê-lo. Esperar que aconteça naturalmente pode levar décadas e tornar-se a brecha de que a concorrência precisa para  conquistar espaço de mercado antes de você... e acabar com a sua festa!  

Compartilhe esta publicação: