A VIDA E O MARKETING TÊM MUITO EM COMUM

Image

 

Abraham Shapiro

Em marketing, define-se MARCA como “a reputação que permanece depois das experiências reais de consumo”. 

Há poucos dias, vivi algo interessante. Era a primeira vez que eu voava por uma certa companhia aérea. Quando sentei-me na minha poltrona, ouvi a aeromoça no auto-falante dizendo: 

- “Nossa empresa oferece três grandes diferenciais em relação a todas as demais: nossas poltronas são mais confortáveis, o espaço entre os assentos é maior e, por respeito a você, fazemos questão de ser pontuais”.  

O conforto era inegável. Não havia nada igual em voos domésticos. Quanto à pontualidade, faltavam sete minutos para o horário de decolagem. Quando olhei o relógio, a aeronave começou a se movimentar. Era o horário exato registrado na passagem. 

Como bom brasileiro, estranhei.  

Não sei se eu teria percebido os diferenciais da empresa se a aeromoça não os anunciasse em alto e bom tom pelo alto-falante. Após ouvi-los, minha atenção despertou. Só então eu os apreciei como benefícios de verdade. 

Dias depois, eu recomendava a empresa aos meus amigos.

Mais do que uma tática de marketing, há uma lição de vida neste episódio. O que as pessoas têm de positivo é como os benefícios de um produto. Quero dizer que jogar um foco de luz sobre eles ajuda a que sejam melhor vistos do que aconteceria naturalmente.

Conheça suficientemente as pessoas à sua volta. 

Ajude-as a vencer suas imperfeições. Mas saiba, antes de tudo, o que elas têm de bom e exalte isso. Reconheça-o publicamente. Mostre que você vê. Dê saliência. Não polarize a sua visão para defeitos e falhas.  Conviver é, acima de qualquer outro conceito, ver o lado bom e brilhante da vida dos demais de modo superior às sombras, tropeços e fracassos que eles dão ou possam vir a dar.

Compartilhe esta publicação: