PRECISO DE MAIS TEMPO, POR FAVOR!

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

Há uma anormalidade atual que se tornou epidêmica em grande parte da população. É o gosto – quase prazer – de dizer que se está ocupado demais e não há tempo para nada. E ela se agrava mediante a crença de que somos muito mais ocupados do que todos os nossos antepassados. Mas a História mostra ser um enorme engano.

Em 1887, há mais de 130 anos, Friedrich Nietzsche, o grande filósofo alemão, já reclamava do mesmo problema.

Nos Estados Unidos, uma compilação de cinco diferentes medidas de tempo tomadas nos últimos cinquenta anos indicou que o cidadão americano médio tem, hoje, de seis a nove horas livres a mais por semana do que a cinco décadas atrás.

Ocorre que a Era da Informação nos aponta o dedo dizendo que precisamos absorver um volume enorme de notícias e dados. Daí a falsa sensação de que nunca conseguiremos acompanhar tudo, iludidos que se tivéssemos mais tempo estaríamos sintonizados e cumprindo esta obrigação ou necessidade.

No entanto, ser seletivo e saber exatemente o que buscar em meio a esta avalanche de boas e péssimas coisas que chegam pela Rede Mundial é o grande segredo do sucesso e da paz de espíritono nosso mundo, já que a falta de critério em acessar todos estes recursos ocasiona perda de produtividade crescente pelo nível de distração que podem produzir.  

Se durante o trabalho, por exemplo,  você cede às Mídias Sociais ou à comunicação instantânea sem nenhum limite ou padrão de conduta,  corre o risco de jogar grande parte de um dia inteiro no lixo. É o que acontece em muitas empresas por todo o mundo nos dias de hoje. E aqui vai um lembrete: a única coisa que você e eu temos, de fato, enquanto vivemos, é tempo. E se você diz não ter tempo, o que então você tem?

Compartilhe esta publicação: