O QUE EU PROCURO, ACHO!

Image

ABRAHAM SHAPIRO para o Portal Profissão Atitude

Alguns dirão que é Psicologia. Mas é uma simples  e óbvia constatação da vida que agora divido com você.

Quando eu estou feliz, vejo felicidade nos outros.

Quando sinto compaixão, vejo o mesmo nas outras pessoas.  E se eu estiver cheio de energia e esperança, verei muitas oportunidades à minha volta.

O azar é que o contrário também é verdade. Se eu estiver com raiva, tudo me irrita de graça.  E quando deprimido, vejo tristeza nos olhos de quem me rodeia.

Desânimo torna o mundo um lugar chato e sem atrativos aos nossos olhos.

Se eu for de carro a Campinas e disser: “Que lugar mais apinhado, bagunçado, que trânsito caótico!”, estarei na verdade expressando quanto eu estou interiormente apinhado, bagunçado e congestionado naquele momento. Se estivesse motivado, poderia tranquilamente me pegar dizendo: “Uau! Como esta cidade progride! Já é uma metrópole!”  Novamente eu estaria descrevendo a minha paisagem interior, não a de Campinas.

Quero dizer que a nossa automotivação depende da forma como escolhemos ver as circunstâncias da nossa vida. Sabe por quê? Nós não vemos as coisas como elas são, mas como nós somos.

Em qualquer situação, podemos ir em busca do ouro ou tentar encontrar a sujeira. Isto é o que significa a frase: “Quem procura acha.”

Então opte por oportunidades boas.  A escolha é sua.  As nossas oportunidades irão se multiplicar muito  a partir do momento em que nós dois decidirmos enxergá-las.

Compartilhe esta publicação: